Notícias

12 de Outubro - Dia Mundial da Visão

2017-10-12

Aproveitamos este dia Mundial da Visão para alertar para a questão da “CEGUEIRA EVITÁVEL”, ou seja, aquelas situações em que as pessoas ficam cegas por não serem tratadas atempadamente e de forma eficaz.

Um dos problemas principais tem a ver com a DIABETES que afecta cada vez mais portugueses e que pode causar problemas graves de visão. Cerca de 400.000 portugueses poderão sofrer de diabetes, número que tem vindo a aumentar pelo sedentarismo, tipos de alimentação, falta de exercício regular, fenómenos de obesidade, etc.

Geralmente os diabéticos devem ser seguidos regularmente por oftalmologistas que devem tratar toda e qualquer lesão ocular que possa vir mais tarde a comprometer a boa visão. Prevenir é muitíssimo melhor que tratar pois quase tudo o que se perde na visão por causa da diabetes, raramente se recupera.

Da parte do paciente é essencial um controlo rigoroso da diabetes e de outras patologias que podem influenciar esta doença: o caso da hipertensão arterial e a hipercolesterolemia entre outras.

 

GLAUCOMA é outra doença do foro oftalmológico que pode causar cegueira ou diminuir de forma muito grave a capacidade visual das pessoas. Há várias formas de glaucoma, até mesmo à nascença, mas a mais comum é denominada de glaucoma crónico de ângulo aberto e aparece geralmente depois dos 40 anos de idade. Muitas vezes há uma história familiar e em alguns casos alterações oculares que se intitulam de pseudoexfoliação poderão vir a provocar a doença mais tarde ou mais cedo. O glaucoma não tem cura mas pode ser controlado. A evolução é lenta mas tudo o que se perde nunca mais se recupera. Na maior parte dos casos na sua fase inicial as pessoas não se apercebem de nada e apenas a visita de rotina ao oftalmologista poderá fazer o diagnóstico. O tratamento é geralmente efectuado com a aplicação de colírios (gotas) regularmente e algumas vezes com o recurso a cirurgia.

 

A Degenerescência Macular Relacionada com a Idade (DMI) é uma doença do envelhecimento de uma parte especial da retina e que, até há poucos anos, não tinha qualquer tipo de tratamento útil. Em muitos casos a doença evoluía para uma situação de cegueira funcional irreversível, isto é, o paciente deixava de poder conduzir o seu carro, ler, distinguir o rosto das pessoas, etc. Graças à utilização de injecções intravítreo (dentro do olho) de factores anti-angiogénicos numa fase precoce da chamada DMI húmida, é possível em muitos casos travar a doença e inverter a situação potencialmente catastrófica.

 

No que respeita às CRIANÇAS todo o cuidado é pouco para que as mesmas cresçam saudavelmente sem perturbações visuais significativas. Cerca de 5% de crianças de 3 a 5 anos de idade poderão sofrer de algum grau de ambliopia (deficit visual geralmente de um olho), o qual, se for tratado atempadamente, evitará situações que se podem tornar permanentes. Assim é obrigatório que os pais levem as suas crianças a rastreios de visão por oftalmologistas entre os 3 e 5 anos de idade.

Não se esqueça: esteja atento à sua visão. Consultas regulares em oftalmologista podem ser a solução para evitar problemas sérios mas que detetados a tempo, são tratados e controlados.

 

VOLTAR

NEWSLETTER
Siga-nos
facebook vimeo

© 2015. Todos os direitos reservados.
Design e desenvolvimento: LinkAge